8 Cuidados para ter antes de viagens longas de carro

Viajar de carro é muito mais confortável dependendo do trajeto. Permite paradas extras, mudanças de percurso e dá para gastar bem menos levando a família e até convidados. Mas como toda viagem exige cuidados e preparação, em especial porque o meio de transporte de sua responsabilidade. Saiba quais cuidados são cruciais antes de se aventurar nas estradas a seguir.

8 Cuidados para ter antes de viagens longas de carro

Os cuidados para ter antes de viagens longas de carro

Viajar de carro para algumas pessoas é muito mais prazeroso. Exige uma preparação antecipada e alguns cuidados devem ser tomados antes de pegar a estrada. A seguir, as oito principais medidas antes de botar o pé na estrada.

1 – Faça uma revisão na oficina

Carro andando normalmente não significa perfeito estado. Algumas peças ficam na iminência de quebrar com seu desgaste e isso pode acontecer com toda família a bordo. Uma simples revisão pode indicar tudo certo ou identificar um problema facilmente solucionável para evitar paradas extras. E na emergência todo mecânico cobra muito mais, não é mesmo?

2 – Atenção ao IPVA

As blitzs em sua cidade obrigam pagamento do IPVA ou gera multa e apreensão. O mesmo vale para circulação em qualquer outro estado. IPVA não pago pode deixar o seu veículo no estacionamento do Detran. E nos fins de semana eles não funcionam para remover e nem há como pagar, só na segunda.

3 – Atenção ao licenciamento do veículo

Veículo licenciado está com documento em dia mas precisa dar entrada no processo anualmente. Se está em vigor o Licenciamento 2018 marque a vistoria e faça o procedimento antes de ter problemas. É importante uma vistoria também para verificar se todos os itens estão em ordem, em especial se realizou a compra recentemente.

4 – Saia com o tanque cheio

Nunca deixe para abastecer na próxima cidade ou contando que tanque no reserva circula alguns quilômetros. O próximo posto pode estar desativado ou sem conseguir abastecer. 

5 – Faça um trajeto o qual conheça

Não se aventure em estradas novas, em especial se é uma viagem em fim de tarde ou noite. O ideal é conhecer o caminho mas caso esteja consultando um mapa ou GPS, atente para as vias principais e siga as placas de BRs e Avenidas. Cuidado para não entrar em vias perigosas e sem boas condições de transitar.

6 – Avise sempre para onde está indo a alguém

Esta é uma dica para quem viaja de carro, ônibus ou outro meio de transporte. Assim se caso aconteça alguma coisa no caminho saberão ao menos onde enviar ajuda.

7 – O caminho mais curto nem sempre é o melhor

Há sempre desvios indicados pelos amigos e GPS para economizar combustível e tempo. No geral quando se trata de estradas são mal sinalizados e sem cidades. O que acontece se você furar dois pneus quando há apenas um step? E um problema com uma criança no carro? As vezes perder alguns minutos vale muito mais a pena pela segurança. 

8 – Leve comidas e bebidas

Nunca se sabe qual a próxima parada ou se um acidente na rodovia vai lhe roubar algumas horas parado. Prevenção é uma ótima pedida. 

Qual o prazo para solicitar a indenização DPVAT?

O Seguro DPVAT indeniza tanto motoristas como passageiros e pedestres envolvidos em um acidente de trânsito. O valor a ser pago depende do tipo de dano causado e é recebido em conta corrente ou poupança. Saiba mais como funciona e qual o prazo para solicitar e receber a seguir.

O que é para que serve o DPVAT

O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, mais conhecido apenas por sua sigla DPVAT, é o seguro obrigatório pago por todos os proprietários de veículo anualmente. Sua taxa já é encaminhada pelo Detran juntamente com o IPVA, outro imposto anual e igualmente importante. 

Este seguro é para cobrir danos de saúde (e não materiais) para vítimas envolvidas em acidente de trânsito independente de sua culpa. Podem solicitar o motorista, os passageiros e pedestres envolvidos no acidente sendo culpados ou não. 

Para solicitar o dinheiro do DPVAT é necessário dar entrada no procedimento através da seguradora Líder, a responsável atual no Brasil. É necessário ter documentos que comprovem o seu envolvimento com o acidente que vão passar uma avaliação criteriosa. Caso seja cabível seguro é só aguardar o pagamento quando aprovado em até 30 dias em conta corrente ou poupança informada pelo segurado.

Como funciona o DPVAT em detalhes

O seguro DPVAT só pode ser solicitado por quem sofreu algum dano de saúde em decorrência de um acidente de trânsito. São cobertos os gastos médicos, exames e alguma sequela permanente como amputação de um dedo, de membro parcial ou total. 

No caso de um parente falecido os herdeiros podem requerer o recebimento do seguro. Seriam herdeiros diretos como esposa, marido e filhos. Eles podem solicitar desde que consigo comprar tanto a herança como com atestados a causa do falecimento ser o acidente de trânsito. 

Danos materiais não são cobertos pelo DPVAT. A perda de um carro, de um celular, de uma bolsa ou algo do tipo não é passível de requerer o seguro. Apenas danos à saúde. 

Os valores não são altos como um seguro de carro privado ou seguro de vida. Os valores vão de R$ 1.250 a R$ 13.500 para os danos mais sérios como perda total de um membro ou imobilização. Cada tipo de lesão ou dano é avaliado e o valor pago vai de acordo com a pré determinação do DPVAT.

Qual o prazo para solicitar o DPVAT?

Após o acidente o envolvido possui até três anos para solicitar o seguro. O mesmo prazo vale tanto para os envolvidos diretamente como os herdeiros em caso de falecimento. Este prazo não é prorrogável.

O primeiro passo é ir até um posto de atendimento da Seguradora Líder com os documentos necessários para solicitar o recebimento do seguro. Uma vez dada a entrada no processo é só aguardar a avaliação e o possível pagamento. Todo o acompanhamento pode ser realizado online. 

O procedimento não necessita de um advogado mesmo muitos se oferecendo para isso. Ele pode ser feito sozinho pelo beneficiado desde que tenha todos os documentos em mãos originais e devidamente certificados. 

 

Requisitos para isenção do IPVA

Virada do ano é um período de comemoração e também preparativos. É quando começam as taxas fixas de pagamento e entre elas o IPVA. O Imposto Sobre Propriedade Particular é um dos mais caros do ano e restrito a quem possui veículo na garagem. Contudo, há casos de isenção. Saiba mais a seguir.

Quem tem direito a isenção do IPVA?

O desconto do IPVA é determinado pelo Detran para o grupo de proprietários que necessita do veículo para locomoção como necessidade básica. São grupos de pessoas que possuem a sua rotina diária facilitada por terem um carro à disposição na garagem. 

Possuem direito à isenção do IPVA no Brasil:

  • Deficiente físico – seja ele condutor ou transportado por outra pessoa, sendo ele o proprietário;
  • Deficiente visual não condutor;
  • Deficiente mental (severo ou profundo);
  • Autista não condutores;
  • Portadores de doenças crônicas degenerativas – HIV, Mal de Parkinson;
  • Veículos de entidade filantrópica;
  • Veículos de embaixada e consulado;
  • Condutor profissional autônomo ou taxista;
  • Veículos de valor histórico – em alguns estados é com mais de 50 anos em outros mais de 30, é preciso consultar a legislação;
  • Veículo roubado, furtado ou extorquido;
  • Veículo que sofreu sinistrados com perda total;
  • Veículo adquirido por leilão realizado por poder público;
  • Veículos cedidos a autarquias e fundações públicas estaduais.

Portadores de câncer possuem isenção apenas em alguns estados como Distrito Federal, Minas Gerais, Pernambuco e alguns outros. Para saber se o seu está incluído é necessário acessar o site do Detran de sua cidade e consultar as regras. 

Pré requisitos para conseguir isenção de IPVA

Se o proprietário do veículo se encaixa em algumas das situações acima ele pode conseguir a isenção do pagamento IPVA 2018 MG e de outros estados.

Mas antes de mais nada é importante saber que não é permitido ter isenção de mais de um veículo. Apenas um. Isso acontece para que não se coloque a posse de um bem em nome de um deficiente ou com alguma condição citada acima apenas para não pagar imposto.

O primeiro passo para conseguir a isenção é ter um veículo em perfeito estado. Para o caso dos portadores de necessidades especiais ele precisa ser novo e com adaptação caso ele seja o principal condutor.

Como conseguir isenção do IPVA?

O primeiro passo é ter um laudo oficial médico informando a sua condição. Isso é obtido por meio de uma consulta com perícia em médico do INSS ou de rede pública de saúde. O laudo deve ser solicitado com assinatura e carimbos específicos. 

Deve-se então ir até uma unidade do Detran e solicitar o formulário para preenchimento e apresentá-lo pronto com seu laudo médico. A isenção então é computada no sistema e não haverá cobrança do imposto, dando baixa no sistema.

Infelizmente todo esse processo deve ser repetido todos os anos tanto no IPVA 2018 SP como nos demais estados. A cada novo IPVA gerado é necessário fazer uma nova solicitação de isenção para garantir que o veículo ainda está com a posse de quem possui direito à ser isento do pagamento. Um novo formulário deve ser preenchido e apresentado no mesmo prazo de pagamento do imposto para os demais contribuintes.

5 Direitos importantes dos deficientes

Portadores de deficiências físicas ou mentais no Brasil possuem direitos diferenciados. Suas necessidades especiais requerem cuidados e atenção, assim como assistência governamental em diversos casos. Com tantas leis nem todos acompanham, mas há direitos importantes dos deficientes que não devem ser esquecidos. Saiba mais a seguir.

Quem é considerado deficiente no Brasil?

Para finalidades legais há uma definição de quem é um deficiente no Brasil. Ele pode ser físico ou mental, desde que sua condição não lhe permita exercer atividades de forma plena. São eles:

  • Deficientes de locomoção – cadeirantes ou com necessidade de usar muletas de forma constante;
  • Portadores de doenças mentais que lhe incapacitem um julgamento pleno;
  • Cegos e surdos ou surdos e mudos;
  • Amputados parciais ou totais de um membro;
  • Portadores de doenças degenerativas – HIV, leucemia, câncer, dentre outras.

Os cinco direitos mais importantes dos deficientes

No Brasil a lei protege de forma ampla os deficientes e lhe permite alguns direitos diferenciados. É uma forma de compensar quem possui alguma dificuldade em exercer seus direitos. Os cinco direitos dos deficientes mais importantes são:

Aposentadoria por invalidez

Se não há condições de trabalhar o governo auxilia através de uma aposentadoria do INSS por motivo de deficiência. É pago mensalmente o valor de um salário mínimo vigente com atualizações de acordo com a mudança do valor pelo Governo Federal. Neste tipo de situação não é necessária a contribuição mínima ao INSS.

Desconto na Conta de Energia Elétrica

Se o portador de necessidades especiais está incluído no Cadastro Único do Governo Federal ele paga menos no valor da conta de energia elétrica. A regra vale para todos os estados e para requerer basta ir na empresa que presta serviço em sua cidade.

Isenção de IPVA

Os portadores de necessidades especiais podem ter desconto no Pagamento IPVA RJ 2018 e em outros estados. Para requerer o benefício basta preencher um formulário no órgão do Detran e entregar no órgão. É preciso ter laudo médico oficial comprovando a sua condição. 

Mesmo o portador de necessidades especiais não sendo o proprietário do veículo ele pode requerer o desconto se houver um dependente necessita do carro para locomoção. É o caso de deficientes mentais considerados incapazes e com outro proprietário na compra. 

Isenção do ICMS na compra de um carro

Todos os portadores de uma deficiência física possuem isenção do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias, mais conhecido como ICMS. Ele pode comprar um carro e não pagar por este imposto, uma forma de facilitar a sua locomoção. Neste caso ele deve comprovar a sua condição com laudo médico no Detran. 

Isenção da Tarifa no Transporte Público

Cada cidade funciona de uma forma para permitir essa isenção. Em algumas leis estaduais vigora o direito do deficiente e seu acompanhante de circularem sem pagar a passagem. Já em outras apenas o deficiente possui este direito, mas precisa apresentar sempre um laudo médico.

A forma como é conduzida esta gratuidade varia por cidade mas no geral é bem simples de conseguir uma carteira gratuita com cadastramento e renovação anual.